domingo, 29 de janeiro de 2012

CENTENÁRIO DE JORGE AMADO | Livros, Filmes, Novelas, Minisséries, Exposições, Concursos e muito mais...


"uma arte moderna sem ser modernista"


Desde outubro de 2011 estão em curso vários projetos e ações que visam comemorar o centenário do maior romancista brasileiro dos últimos 100 anos. Parentes e colaboradores de Jorge Leal Amado de Faria (1912-2001), ou simplesmente JORGE AMADO formaram uma comissão oficial para tratar das comemorações do centenário do maior cronista do Brasil.

A agenda oficial das comemorações passam pela Bahia, São Paulo e Rio de Janeiro. Além de lançamentos de Livros, filmes, reedições, exposições, mostras cinematográficas, música, samba enredo, selo oficial do centenário, palestras, concursos e cursos.

Inexplicavelmente Brasília conseguiu ficar de fora das comemorações oficiais. Esperamos que o DF e os demais estados não deixem de fazer homenagens dignas ao mestre da literatura nacional e o principal difusor da tão afamada: “brasilidade”.

Companheiro inseparável da escritora Zélia Gattai (1916-2008), autora de Anarquistas Graças a Deus (1979), que o sucedeu na Academia Brasileira de Letras.

Pai de três filhos, o intelectual, escritor, poeta, jornalista, cronista, deputado federal, e estudioso da cultura popular, das religiões de matriz africana e do povo brasileiro estaria completando 100 anos de vida em 10 de agosto de 2012.

Contudo o legado de Jorge Amado continua a florescer nos tempos de hoje. O baiano Jorge Amado é um escritor popular, justamente por ter dado voz e personalidade ás classes oprimidas e marginalizadas de nosso país. Crianças em situação de rua, trabalhadores, negros, homossexuais, mães de santo, viúvas, pescadores, desempregados e até mesmo aos deuses negros das religiões de matriz africana, além é claro de ter falado das belezas e tristezas das cidades baianas. Tudo isso numa época em que não existia o “politicamente correto”.

OBRAS |TEATRO

O amor do soldado (1947);

OBRAS | ROMANCE


O País do Carnaval (1930); Cacau (1933); Suor (1934); Jubiabá (1935); Mar morto (1936); Capitães da areia (1937); Terras do Sem-Fim (1943); São Jorge dos Ilhéus (1944); Seara vermelha (1946); Os subterrâneos da liberdade (1954); Gabriela, cravo e canela, (1958) A morte e a morte de Quincas Berro d'Água (1961); Os velhos marinheiros ou o capitão de longo curso (1961); Os pastores da noite (1964); O Compadre de Ogum (1964); Dona Flor e Seus Dois Maridos (1966); Tenda dos milagres (1969); Teresa Batista cansada de guerra (1972); Tieta do Agreste (1977); Farda, fardão, camisola de dormir (1979); Tocaia grande (1984); O sumiço da santa (1988) A descoberta da América pelos turcos (1994).

OBRAS |MEMÓRIAS / BIOGRAFIA

O menino grapiúna (1982);

Navegação de cabotagem (1992); ABC de Castro Alves (1941); O cavaleiro da esperança (1942);


OBRAS | INFANTO JUVENIL

O gato Malhado e a andorinha Sinhá (1976); A bola e o goleiro (1984); O Capeta Carybé (1986);

OBRAS | FABULAS

O milagre dos pássaros (1997);

OBRAS | CONTOS

Sentimentalismo (1931); O homem da mulher e a mulher do homem ( 1931); História do carnaval (1945); As mortes e o triunfo de Rosalinda (1965); Do recente milagre dos pássaros acontecido em terras de Alagoas, nas ribanceiras do rio São Francisco (1979); O episódio de Siroca (1982); De como o mulato Porciúncula descarregou o seu defunto(1989);

OBRAS | CRÔNICAS

Hora da Guerra (2008);

OBRAS | POESIAS

A estrada do mar (1938);

OBRAS |GUIAS

Bahia de Todos os Santos, (1945); O mundo da paz (1951); Bahia Boa Terra Bahia (1967); Bahia (1970); Terra Mágica Bahia (1984);

OBRAS |TRADUÇÕES FEITAS POR JORGE

Dona Bárbara (Doña Barbara - do escritor venezuelano Rómulo Gallegos)(1934);


FILMES | BASEADOS NA OBRA DE JORGE AMADO

Capitães da Areia – Cecília Amado (Brasil - 2011);

Quincas Berro d´ Água – Sérgio Machado (Brasil - 2010);

Tieta do Agreste – Cacá Diegues (Brasil - 1996);

Gabriela Cravo e Canela – Bruno Barreto (Brasil - 1983);

Kiss me Goodbye – Robert Mulligan (USA – 1982 );

Tenda Dos Milagres – Nelson Pereira dos Santos (Brasil - 1977);

Dona Flor e Seus Dois Maridos – Bruno Barreto (Brasil - 1976);

Seara Vermelha – Alberto D´Aversa (Italia - 1964);

NOVELAS BASEADAS NA OBRA DE JORGE AMADO

Terras do Sem Fim (1966);

Gabriela (1975);

Tieta do Agreste (1989);

Porto dos Milagres (2001);

MINISSÉRIES

Pastores da Noite (2002);

Dona Flor e Seus Dois Maridos (1998);

Teresa Batista (1992);

Tenda dos Milagres (1985);

JORGE AMADO PUBLICADO EM OUTROS IDIOMAS

azerbaidjano, albanês, alemão, árabe, armênio, búlgaro, catalão, chinês, coreano, croata, dinamarquês, eslovaco, esloveno, espanhol, esperanto, estoniano, finlandês, francês, galego, georgiano, grego, guarani, hebraico, holandês, húngaro, iídiche, inglês, islandês, italiano, japonês, letão, lituano, macedônio, moldávio, mongol, norueguês, persa, polonês, romeno, russo, sérvio, sueco, tailandês, tcheco, turco, turcumênio, ucraniano e vietnamita (48 no total). Essas traduções foram publicadas no mínimo nos seguintes países: Albânia, Alemanha, Arábia Saudita, Argentina, Armênia, Áustria, Azerbaidjão, Bulgária, Canadá, Chile, China, Colômbia, Coréia do Norte, Coréia do Sul, Cuba, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, Eslováquia, Estônia, Finlândia, França, Geórgia, Grécia, Holanda, Hungria, Inglaterra, Irã, Islândia, Israel, Itália, Iugoslávia, Japão, Letônia, Lituânia, México, Mongólia, Noruega, Paraguai, Polônia, Portugal, República Tcheca, Romênia, Rússia, Suécia, Tailândia, Turquia, Ucrânia, Uruguai, Venezuela e Vietnã; o Brasil também deve ser computado em função da edição nacional em esperanto, totalizando 52 nações.


PRÊMIOS

Jorge Amado recebeu vários prêmios, comendas e títulos em vida, e entre eles estão, em 1951, Prêmio Lênin da Paz. Prêmio Nacional de Romance do Instituto Nacional do Livro (1959); Prêmio Graça Aranha (1959); Prêmio Paula Brito (1959); Prêmio Luísa Cláudio de Sousa, do Pen Club do Brasil (1959); Prêmio Carmen Dolores Barbosa (1959); Troféu Intelectual do Ano (1970); Prêmio de Latinidade (Paris, 1971); Prêmio do Instituto Ítalo-Latino-Americano (Roma, 1976); Prêmio Fernando Chinaglia, Rio de Janeiro (1982); Prêmio Nestlé de Literatura, São Paulo (1982); Prêmio Brasília de Literatura — Conjunto de obras (1982); Prêmio Risit d'Aur (Udine, Itália, 1984); Prêmio Moinho, Itália (1984); Prêmio Dimitrof de Literatura,SofiaBulgária (1986); Prêmio Pablo Neruda, Associação de Escritores Soviéticos, Moscou (1989); Prêmio Mundial Cino Del Duca da Fundação Simone e Cino Del Duca (1990); Prêmio Camões (1995). Prêmio Jabuti (1959 e 1995); Prêmio Moinho Santista de Literatura (1984); Prêmio BNB de Literatura (1985); além de títulos de Comendador e de Grande Oficial, nas ordens da Argentina, Chile, Espanha, França, Portugal e Venezuela, Doutor Honoris Causa, por dez universidades no Brasil, Itália, Israel, França e Portugal. O título de Doutor pela Sorbonne, na França, foi o último que recebeu pessoalmente, em 1998.

AGENDA OFICIAL DO CENTENÁRIO DE JORGE AMADO | 2012

OUTUBRO/2011

Lançamento do filme Capitães da Areia

dezembro/2011

Caixa comemorativa As mulheres de Jorge Amado ( Tieta do Agreste,Dona Flor e seus dois maridos, Gabriela, cravo e canela e Tereza Batista cansada de guerra)


FEVEREIRO/2012

Jorge Amado será tema da escola de samba do Rio de Janeiro Imperatriz Leopoldinense

Jorge Amado será tema do carnaval de Salvador e O país do Carnaval tema de camarote

do circuito Barra-Ondina.

MARÇO/2012

Exposição Jorge, amado e universal no Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo

Navegação de cabotagem (edição especial ilustrada), Companhia das Letras

Mostra de cinema - Jorge CineAmadoGráfico, em Salvador


ABRIL/2012

Mar morto (edição de bolso), Companhia das Letras

MAIO/2012

Infantojuvenil, selecionado por Heloísa Prieto, Companhia das Letras

JUNHO/2012

O compadre de Ogum (edição econômica), Companhia das Letras

AGOSTO/2012

Exposição Jorge, amado e universal no Museu de Arte da Bahia, Salvador

Os velhos marinheiros (edição comemorativa e ilustrada), Companhia das Letras

Jorge & Zélia, correspondência inédita, organizado por João Jorge Amado, Companhia das Letras.

Curso Jorge Amado, II Colóquio de Literatura Brasileira, Salvador

Para Saber Mais:

Casa de Jorge Amado | Cia das Letras | Centenário |Releituras | Itaú Cultural | Flip | Revista de História |


sábado, 28 de janeiro de 2012

No ano 2000, o artista plástico primitivista Antônio Poteiro abriu as portas de sua casa em Goiânia para mostrar à TV Câmara seu ateliê,

suas obras multicoloridas e seu ponto de vista muito peculiar sobre a criação e o funcionamento do mundo.


Para Saber Mais: TV CAMARA BAIXE E USE

O jornalista e documentarista Ruy Pereira é diretor de vários filmes, entre eles “O Grande Rio”, medalha de ouro no Festival de Bilbao, na Espanha.

Também trouxe para o País o primeiro prêmio para um filme brasileiro no exterior. Nesta edição do Comitê de Imprensa, Paulo José Cunha entrevista Ruy Pereira. Um encontro com a história do cinema no Brasil.


Para Saber Mais: TV CAMARA BAIXE E USE

Entrevista com o jornalista Paulo Henrique Amorim | Conversa Afiada Parte I




Para Saber Mais: TV CAMARA BAIXE E USE

Ateliê Expressivo para Mulheres | Teatro e Arteterapia | Anascha Gelli

Com o objetivo de proporcionar um processo de autoconhecimento a partir do despertar da criatividade. As oficinas reúnem propostas terapêuticas expressivas e linguagens artísticas como teatro, dança e plásticas. 

Para Saber Mais: Ateliê para Mulheres 

A Mídia Brasileira e o assassinato da Cultura - Entrevista do artista plástico Antônio Veronese. Quase um ano depois a mídia ainda insiste em promover o BBB

"A televisão é concessão do estado, tem que haver contrapartida de interesse público." 
 
Antonio Veronese é um artista plástico de renome internacional. Artista e cidadão brasileiro, vive em constante preocupação com os rumos da cultura em nosso país. Na opinião de Veronese "a cultura e a educação  devem ser encaradas como política de estado" para gerar cidadãos conscientes e independentes.  Digo Cidadãos, não confundir com platéia ou público. A cultura popular brasileira não é representada ou apresentada pelos principais veículos de mídia do nosso país. A literatura, a música, o teatro, plásticas, artesanato, audiovisual, cultura urbana (existentes nos guetos), entre outras manifestações, continuam a ser, encenadas, apresentadas, publicadas, gravadas e repassadas de forma independente e local. apesar de algumas ações do governo e da mídia oficial a CULTURA continua  sem apoio ou reconhecimento da "grande mídia brasileira", que só promove a massificação mercadológica de produtos culturais rentáveis e de fácil assimilação. Bem sabemos que o governo não faz cultura, pois quem faz cultura é o povo. Contudo cabe ao governo,  criar mecanismos para preservar, divulgar, fomentar, incentivar  e  de acesso a cultura.  

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Sujeito Estilhaçado | Mostra de desenhos do ilustrador João Teófilo


Visitação até 05 de fevereiro, de segundas às sextas-feiras, das 9h às 20h45, sábados e domingos das 9h às 17h45. No Salão de Exposições da Biblioteca Nacional de Brasília (2º andar).

A Mostra Sujeito Estilhaçado é um projeto pessoal de produção artística, que procura investigar a fragmentação da subjetividade do indivíduo.

Através de aquarelas, e desenhos a nanquim, a mostra versa sobre a necessidade social da Máscara - os papéis que representamos na sociedade - a subjetividade fragmentada entre tantas possibilidades de ser e a busca angustiosa por uma subjetividade mais autêntica.

Para Saber Mais: Site da BNB

Acorda, Zé! A Comadre tá de pé! | Grupo Moitará - RJ

Posse do Conselho Municipal dos Povos Indígenas | dia 30 de janeiro de 2011 ás 15h

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Morreu aos 91 anos Seu Teodoro Freire, o responsável pela implantação, valorização e popularização da Cultura Popular no Distrito Federal.

O BOI DO SEU TEODORO ( ÓLEO SOBRE TELA) DE VALDÉRIO COSTA

Referencia da cultura em Brasília, O Boi do Seu Teodoro influenciou diversos grupos de artistas, estudiosos e estudantes da cultura popular. Seu Teodoro já se apresentou em diversas ou todas as cidades do Distrito Federal e também foi agraciado ainda em vida pela Ordem do Mérito Cultural (2006) e também seu trabalho é tombado como Patrimônio Imaterial do Distrito Federal. Sobradinho fica mais pobre, o Distrito Federal fica órfão do Patrono da Cultura Popular do Distrito Federal. É com profundo pesar que o CASA XV comunica esta perda.

O velório vai até ás 11h (segunda-feira 16/01) no Centro de Tradições Populares de Sobradinho – DF. End Quadra 15 área especial nº 02.
O MEU BOI MORREU - HOMENAGEM PÓSTUMA

Para Saber Mais:

BOI DO SEU TEODORO (SITE) | CORREIO BRASILIENSE | JORNAL DE BRASÍLIA | G1 | MINISTÉRIO DA CULTURA | PAULO KAUIM | SITE CURUPIRA | TRIBO DAS ARTES | JUSBRASIL | BRASIL 247 | ADVIVO

domingo, 15 de janeiro de 2012

FESTIVAL DE CINEMA INDIANO | NOVOS E ANTIGOS FILMES INDIANOS

O Festival vai de 23 a 28 de janeiro e será exibido um total de seis filmes (um por noite), entre antigas e novas produções do país (a chamada "Bollywood"), em sessões com início às 19h30 no Teatro OI - Brasília.

FILMES DO FESTIVAL

Segunda-feira (23/1)
Ano: 2007
Gênero: Fantasia
Direção: Aamir Khan
Elenco: Aamir Khan, Darsheel Safary, Tanay Chheda, Sachet Engineer, Tisca Chopra e Vipin Sharma
Duração: 165 minutos

Terça-feira (24/1)
Ano: 1999
Gênero: Musical / Romance
Direção: Subhash Ghai
Elenco: Anil Kapoor, Akshaye Khanna e Aishwarya Rai
Duração: 181 minutos

Quarta-feira (25/1)
Ano: 1975
Gênero: Ação / Aventura
Direção: Ramesh Sippy
Elenco: Dharmendra, Sanjeev Kumar and Hema Malini
Duração: 199 minutos

Quinta-feira (26/1)
Ano: 2005
Gênero: Drama
Direção: Nagesh Kukunoor
Elenco: Naseeruddin Shah, Shreyas Talpade, Shweta Prasad, Yatin Karyekar
Duração: 127 minutos

Sexta-feira (27/1)
Ano: 2005
Gênero: Drama
Direção: Sanjay Leela Bhansali
Elenco: Amitabh Bachchan, Rani Mukerji, Ayesha Kapoor, Shernaz Patel, Nandana Sem
Duração: 120 minutos

Sábado (28/1)
Ano: 2009
Gênero: Comédia
Direção: Rajkumar Hirani
Elenco: Aamir Khan, R. Madhavan, Sharman Joshi, Kareena Kapoor, Boman Irani, Omi Vaidya, Parikshit Sahni, Javed Jaffrey
Duração: 164 minutos
A entrada será mediante a doação de 2kg de alimentos não-perecíveis por pessoa, que deverão ser entregues na bilheteria do teatro, no momento da sessão.
Para Saber Mais: Teatro OI

"O Homem que Amava Caixas" | Artesanal Cia de Teatro - RJ


"O Homem que Amava Caixas" conta a história do relacionamento de um pai introvertido, que não consegue declarar amor ao filho, mas o demonstra por meio de brincadeiras lúdicas, mesmo em silêncio. O cenário é composto por bonecos e caixas, que se transformam em casa, montanha, castelo, aviões e outros objetos.
A trilha sonora, minimalista, foi especialmente composta para a peça e é cantada ao vivo pelos atores. O espetáculo infanto-juvenil é uma adaptação do livro homônimo do australiano Stephen Michael King, com direção de Gustavo Bicalho e Henrique Gonçalves e interpretação de Bruno Oliveira, Márcio Nascimento e Marise Nogueira.
Dias: 21 e 22 de janeiro (sábado e domingo)
Hora: 17h.
Ingressos: R$ 30,00 a inteira (VALOR ÚNICO DE R$ 30,00?)
TEATRO OI

“Elizabeth Tudo Pode” | Cia Yinspiração


O espetáculo foi desenvolvido através de pesquisa teatral e histórica, misturando fatos reais à ficção ou transformando História em historinha.
Além da vida e feitos da Rainha Elizabeth I (Elizabeth Tudor), faz-se referência à Biblioteca de Alexandria e seu algoz Júlio César.
Toda a concepção, roteiro e montagem foram feitos pela Cia Yinspiração que convidou o ator Gê Martú para a cena e o artesão Virgilio Mota para a confecção do cenário todo em papelão.
Ele recria uma biblioteca onde os livros têm vida, conversam com a protagonista ou deixam seus personagens escaparem para ajudar a contar a história da monarca. A peça gerou o projeto Alexandria Conta e Cria que pretende contar outras Histórias e histórias.

Data: 8 a 29 de Janeiro.
Dia: sempre aos domingos Hora: 15h.
Local: Teatro Eva Herz - Shopping Iguatemi, Lago Norte. Entrada franca.
Retirada de ingressos no dia do espetáculo, a partir das 12h.

“A Arte de Dizer Palavrão” | Direção Abaetê Queiroz


Se o palavrão existe para ajudar você a desabafar na hora que o pneu fura ou que o seu chefe anuncia trabalho extra no sábado pela manhã, a nova comédia de Alexandre Ribondi promete lhe ajudar a viver melhor. Nos primeiros minutos do espetáculo, Alexandre Ribondi pergunta que tipo de pessoa vai assistir a uma peça sobre palavrões...

Data: De 6 de janeiro a 26 de fevereiro de 2012
Dias: sextas , sábados e Domingos
Hora: às 21h e (domingo), às 19h
Local: Teatro do Brasília Shopping – SCN Quadra 5.
Ingressos: R$ 40 (inteira)
Classificação:18 anos

Filha, mãe, avó e puta – uma entrevista Da aristocracia à prostituição e da prostituição à liderança política mundialmente reconhecida

Assim pode ser definida a trajetória de Gabriela Leite em Filha, Mãe, Avó e Puta – Uma Entrevista. A obra homônima, publicada em 2009, agora chega aos palcos, encenada por Alexia Dechamps e Louri Santos, sob a direção de Guilherme Leme.

12 Jan a 5 Fev
Local: Teatro II | CCBB DF
Horário: Quinta a domingo, às 19h30
Para Saber Mais: CCBBDF

Exposição Luz de Cuba | Lisette Guerra

De 17 de janeiro a 15 de fevereiro de 2012 | das 9h ás 18h e 30min
Museu Nacional do Conjunto da República

sábado, 14 de janeiro de 2012

Retrospectiva Lars Von Trier CCBB Em Cartaz | Cine Brasília


O CCBB - Brasília e Cine Brasília apresentam a mostra Lars Von Trier que faz uma revisão da trajetória do diretor de cinema dinamarquês. São 17 filmes e Palestras com o professor da Universidade de Copenhagen, Peter Schepelern. De 17 a 5 de fevereiro de 2012 a exibição da mostra terá dois endereços o Cine Brasília e CCBB – Brasília.

Programação Cine Brasília

17 de janeiro - terça
19h30: Dogville (178 min. | 2003 | 16 anos)

18 de janeiro - quarta
19h30: Ondas do Destino (159 min. | 1996 | 16 anos)

19 de janeiro - quinta
19h30: Os Idiotas (117 min. | 1998 | 18 anos)

20 de janeiro - sexta
19h30: Dançando no Escuro (140 min. | 2000 | 16 anos)

21 de janeiro - sábado
17h: Dogville (178 min. | 2003 | 16 anos)
20h30: Manderlay (139 min. | 2005 | 16 anos)

22 de janeiro - domingo
17h: O Grande Chefe (99 min. | 2006 | 16 anos)
19h30: Anticristo (108 min. | 2009 | 18 anos)

24 de janeiro - terça
19h30: Melancolia (136 min. | 2011 | 14 anos)

25 de janeiro - quarta
19h30: Manderlay (139 min. | 2005 | 16 anos)

26 de janeiro - quinta
19h30: Dançando no Escuro (140 min. | 2000 | 16 anos)

27 de janeiro - sexta
19h30: O Grande Chefe (99 min. | 2006 | 16 anos)

28 de janeiro - sábado
14h40: Ondas do Destino (159 min. | 1996 | 16 anos)
18h: Melancolia (136 min. | 2011 | 14 anos) Sessão seguida de debate com o professor Peter Schepelern : "Lars von Trier - Um gênio do escândalo"

29 de janeiro - domingo
17h: Os Idiotas (117 min. | 1998 | 18 anos)
19h30: Dançando no Escuro (140 min. | 2000 | 16 anos)

31 de janeiro - terça
19h30: Anticristo (108 min. | 2009 | 18 anos)

1º de fevereiro - quarta
19h30: Dogville (178 min. | 2003 | 16 anos)

2 de fevereiro - quinta
19h30: Manderlay (139 min. | 2005 | 16 anos)

3 de fevereiro - sexta
19h30: Os Idiotas (117 min. | 1998 | 18 anos)

4 de fevereiro - sábado
17h: O Grande Chefe (99 min. | 2006 | 16 anos)
19h30: Anticristo (108 min. | 2009 | 18 anos)

5 de fevereiro - domingo
17h: Ondas do Destino (159 min. | 1996 | 16 anos)
20h30: Melancolia (136 min. | 2011 | 14 anos)

Retrospectiva Lars Von Trier | Projeto CCBB Em Cartaz


O CCBB - Brasília e Cine Brasília apresentam a mostra Lars Von Trier que faz uma revisão da trajetória do diretor de cinema dinamarquês. São 17 filmes e Palestras com o professor da Universidade de Copenhagen, Peter Schepelern. De 17 a 5 de fevereiro de 2012 a exibição da mostra terá dois endereços o Cine Brasília e CCBB – Brasília.

Programação CCBB

25 de janeiro - quarta
16h30: Elemento de um Crime (104 min. | 1984)
18h30: Epidemia (106 min. | 1987 | 16 anos)
20h30: Europa (112 min. | 1991 | 16 anos)

26 de janeiro - quinta
16h: Medea (76 min. | 1988)
17h30: O Reino I - parte I (129 min. | 1994 | 18 anos)
20h: O Reino I - parte II (143 min. | 1994 | 18 anos)

27 de janeiro - sexta
16h: O Reino II - parte I (177 min. | 1997 | 18 anos)
18h50: O Reino II - parte II (212 min. | 1997 | 18 anos)

28 de janeiro - sábado
16h30: Profissões + Dimension 1991-1997 (30 min. | 2007 | 14 anos)
17h30: The Purified (72 min. | 2003 | 14 anos)
19h: Os Cinco Obstáculos (92 min. | 2003 | 14 anos)
21h: The Humiliated (79 min. | 1999 | 14 anos)

29 de janeiro - domingo
17h: Tranceformer - A portrait of Lars Von Trier (52 min. | 1997 | 14 anos)
18h30: Elemento de um Crime (104 min. | 1984)
20h40: The Purified (72 min. | 2003 | 14 anos)

31 de janeiro - terça
16h20: Elemento de um Crime (104 min. | 1984)
18h30: Epidemia (106 min. | 1987 | 16 anos)
20h50: Europa (112 min. | 1991 | 16 anos)

1º de fevereiro - quarta
17h: The Humiliated (79 min. | 1999 | 14 anos)
19h: Tranceformer - A portrait of Lars Von Trier (52 min. | 1997 | 14 anos)
20h20: Profissões + Dimension 1991-1997 (30 min. | 14 anos)
21h: Os Cinco Obstáculos (92 min. | 2003 | 14 anos)

2 de fevereiro - quinta
17h: The Purified (72 min. | 2003 | 14 anos)
19h: The Humiliated (79 min. | 1999 | 14 anos)
21h: Epidemia (106 min. | 1987 | 16 anos)

3 de fevereiro - sexta
17h: Europa (112 min. | 1991 | 16 anos)
19h:
Os Cinco Obstáculos (92 min. | 2003 | 14 anos)
21h: Tranceformer - A portrait of Lars Von Trier (52 min. | 1997 | 14 anos)

4 de fevereiro - sábado
15h30: O Reino I - parte I (129 min. | 1994 | 18 anos)
18h: O Reino I - parte II (143 min. | 1994 | 18 anos)
21h: Medea (76 min. | 1988) (será exibido com áudio original e legendas em inglês)

5 de fevereiro - domingo
15h:
Profissões + Dimension 1991-1997 (30 min. | 2007 | 14 anos)
16h: O Reino II - parte I (177 min. | 1997 | 18 anos)
18h50: O Reino II - parte II (212 min. | 1997 | 18 anos)

47º Congresso Brasileiro de Esperanto e o 32º Congresso da Juventude Esperantista Brasileira | De 15 a 19 de janeiro


Neste ano, o Distrito Federal, será a capital do Esperanto. Entre os dias 15 e 19 de janeiro, estudiosos e praticantes da Internacia Lingvo reúnem-se no Centro de Ensino Médio Ave Branca - Taguatinga - DF para o 47º Congresso Brasileiro de Esperanto e o 32º Congresso da Juventude Esperantista Brasileira.

Para Saber Mais:



A Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura – SAV – está com inscrições abertas para cinco novos editais de fomento à produção audiovisual


que juntos representam um investimento total de R$ 17,9 milhões. As inscrições vão até 10 de fevereiro de 2012.

Os editais abrangem todas as regiões do país e foram concebidos para apoiar obras de longa e curta-metragem de baixo orçamento, entre ficções, animações e documentários, roteiristas profissionais e estreantes, além de apoiar cinco iniciativas de documentários de longa-metragem com orçamento de mercado.



de Ficção, de Baixo Orçamento – apoiará, com até R$ 1.200.000,00 (um milhão e duzentos mil reais), cada umas das 10 (dez) obras cinematográficas inéditas de baixo orçamento, de ficção, com duração de até 70 (setenta) minutos com uso ou não, parcial ou total, de técnicas de animação, sendo permitida a incursão experimental com caráter de inovação de linguagem. Cuja destinação e exibição seja prioritária e inicialmente voltada ao mercado de salas de exibição.


do Gênero Ficção, Documentário e Animação – fomentará a produção de até 25 (vinte e cinco) projetos, destinando apoio individual no valor de até R$ 100.000,00 (cem mil reais). As obras cinematográficas devem ser inéditas, de curta metragem de ficção, documentário e animação, sendo permitida a incursão experimental, com caráter de inovação de linguagem. As produções devem ter duração entre 10 (dez) e 15 (quinze) minutos.


para Roteiristas Profissionais* – tem o objetivo de selecionar até 13 (treze) projetos, que terão apoio individual no valor de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais). Serão contemplados 8 (oito) projetos de desenvolvimento de roteiros cinematográficos, inéditos, com duração de até 70 (setenta) minutos, de ficção e 5 (cinco) projetos de desenvolvimento de roteiros, com duração de até 70 (setenta) minutos, com temática infantil, inéditos, de ficção. Os roteiros com temática infantil devem ser dirigidos ao público com faixa etária de 4 (quatro) a 12 (doze) anos.



para Roteiristas Estreantes* – irá fomentar a produção de até 10 (dez) projetos, com o valor de R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais) para cada um. Serão contemplados os projetos de desenvolvimento de roteiros cinematográficos, inéditos, de ficção, exclusivamente para roteiristas estreantes.


prevê a seleção de até 5 (cinco) projetos, destinando apoio individual no valor de até R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais).
Serão contempladas produções cinematográficas, com duração de até 70 (setenta) minutos, inéditas, do gênero documentário, com uso ou não, parcial de técnicas de animação, sendo permitida a incursão experimental com caráter de inovação de linguagem.

Para Saber Mais: cultura.gov.br

O Laboratório Cultura Viva acaba de lançar um Edital para a produção de vídeos autorais


que farão parte da Revista Eletrônica Cultura Viva, a ser lançada neste ano. As inscrições são gratuitas e estarão abertas até o dia 23 de janeiro de 2012.

Podem se candidatar Pontos e Pontões de Cultura de todo o país, que vão produzir vídeos com temáticas e gêneros livres, com duração entre quatro e seis minutos.

No primeiro Edital divulgado pelo Laboratório, no meio do ano, vinte Pontos de Cultura de diversas regiões do país foram selecionados para produzir quatro documentários cada um, que estão em plena fase de produção, totalizando oitenta filmes ao fim do processo.

Inscrições e informações sobre o Edital para Vídeos Autorais estão disponíveis abaixo:



Para Saber Mais: labculturaviva

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Editais da Funarte 2012 destinados aos teatros e salas da FUNARTE no DF, SP, RJ e MG

A Fundação Nacional de Artes, através de seu Centro de Artes Cênicas (Ceacen), abriu processos seletivos para projetos de ocupação de suas salas destinadas a teatro, dança e circo.
Os editais, publicados na edição do dia 2 de janeiro de 2012 do Diário Oficial da União, são destinados aos teatros Dulcina, Cacilda Becker, Duse e Glauce Rocha, no Rio de Janeiro; às salas Carlos Miranda e Renée Gumiel e ao Teatro de Arena Eugênio Kusnet, em São Paulo, ao Galpão 3 da Funarte MG e ao Teatro Plínio Marcos, em Brasília. Será contemplado um projeto em cada edital.
O prazo de inscrições vai até 16 de fevereiro.

EDITAIS | 2012

Um proponente será contemplado para ocupar o espaço com atividades de dança.
Período de ocupação: de abril a agosto de 2012, de quarta-feira a domingo
Valor destinado ao projeto vencedor: R$ 400 mil

Um projeto será contemplado para ocupar o espaço com espetáculos de teatro adulto, teatro para a infância e juventude e outras ações relacionadas à atividade teatral.
Período de ocupação: de abril a julho de 2012, de quarta-feira a domingo
Valor destinado ao projeto vencedor: R$ 500 mil

Um projeto será contemplado para ocupar o espaço com espetáculos de teatro adulto, teatro para a infância e juventude, dança e circo e outras atividades relacionadas às artes cênicas.
Período de ocupação: de abril a julho de 2012, de quarta-feira a domingo
Valor destinado ao projeto vencedor: R$ 600 mil
Um projeto será contemplado para ocupar o espaço com espetáculos de teatro de bonecos e outras atividades relacionadas a marionetes.
Período de ocupação: de abril a agosto de 2012, de quarta-feira a domingo
Valor destinado ao projeto vencedor: R$ 150 mil

Um projeto será contemplado para ocupar o espaço com espetáculos de dança e outras atividades relacionadas a essa arte.
Período de ocupação: de abril a agosto de 2012, de quarta-feira a domingo
Valor destinado ao projeto vencedor: R$ 400 mil
Um projeto será contemplado para ocupar o espaço com espetáculos de teatro adulto, ou teatro para a infância e juventude, ou outras ações relacionadas à atividade teatral.
Período de ocupação: de abril a agosto de 2012, de quarta-feira a domingo
Valor destinado ao projeto vencedor: R$ 400 mil
Um projeto será contemplado para ocupar o espaço com espetáculos de teatro adulto, teatro para a infância e juventude, e outras atividades relacionadas ao teatro.
Período de ocupação: de abril a agosto de 2012, de quarta-feira a domingo
Valor destinado ao projeto vencedor: R$ 400 mil
Um projeto será contemplado para ocupar o espaço com espetáculos de teatro adulto e teatro para a infância e juventude, dança e circo e outras atividades relacionadas às artes cênicas.
Período de ocupação: de abril a agosto de 2012 (exceto no período de 11 a 24 de junho), de quinta-feira a domingo
Valor destinado ao projeto vencedor: R$ 400 mil

Para Saber Mais: FUNARTE

Edital de Ocupação do Teatro Plínio Marcos 2012 | INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 16 DE FEVEREIRO 2012


A Funarte lançou, na segunda-feira (2/01), o Edital de Ocupação do Teatro Plínio Marcos 2012.
Localizado no Complexo Cultural Funarte, no Eixo Monumental, em Brasília (DF), o espaço será ocupado por um projeto com espetáculos de teatro para adulto e teatro para a infância e juventude, dança e circo, além da realização de seminários, palestras, debates, cursos, oficinas, entre outras atividades, que promovam a reflexão e a difusão das artes cênicas.
O edital, publicado no Diário Oficial da União do dia 2 de janeiro de 2012, é aberto a pessoas jurídicas de natureza cultural. Podem participar empresas de produções artísticas, companhias e grupos de todo o Brasil, com ou sem fins lucrativos. O projeto contemplado ocupa o teatro no período de abril a agosto de 2012, de quarta-feira a domingo. O trabalho também deverá contar com algumas atividades gratuitas voltadas para escolas públicas e particulares do entorno, estendidas também às crianças, adolescentes e familiares das comunidades locais, por meio de espetáculos matinês, oficinas, mini cursos, palestras, encontros, ou outras ações.
A Funarte vai destinar R$ 500.000,00 para a realização do projeto contemplado (deduzidos os descontos legais).
EDITAL | FICHA DE INSCRIÇÃO | ET - TPMDF |
Para Saber Mais: FUNARTE

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Centenário de Nelson Rodrigues | 2012

"Não vou para o inferno, mas não tenho asas"

Teatro, Cinema, Literatura, Futebol, Política e Polêmica na vida e obra de Nelson Rodrigues. Em 2012 é comemorado o centenário do dramaturgo Nelson Rodrigues, será homenageado pela Escola de Samba Viradouro, que levará o Anjo pornográfico para avenida. A Funarte estará com uma série de atividades em homenagem ao mais polêmico dramaturgo brasileiro do século. Nós do CASA XV, faremos uma breve abordagem na vida e obra do autor.


Nelson Rodrigues (1912-1980) nasceu da cidade do Recife - PE, a 23 de agosto de 1912. Começou a freqüentar o ambiente jornalístico ainda muito cedo, trabalhando no jornal do pai, Mário Rodrigues como repórter policial, aos treze anos. Após a morte de seu pai começou a trabalhar para o jornal O Globo, em 1931. De saúde muito frágil, passou sua vida em redações de jornais e lutando contra a tuberculose e outros males.

No ano de 1941 lança sua primeira peça, ´A mulher sem pecado´, sem grande repercussão. Mas em 1943 aparece ´Vestido de noiva´, uma revolução em linguagem e estilo teatrais nos anos 40 na ousada montagem de Ziembinski. Mesmo com a fama que seu trabalho teatral começa a lhe trazer, os assuntos financeiros sempre foram motivo de preocupação na maior parte de sua vida e Nelson continuou a escrever em O Globo e outros jornais e revistas.

Em O Jornal, aparece com o pseudônimo de Susana Flag e lança a série ´Meu destino é pecar´, em 38 capítulos de enorme sucesso, o que o levou a lançar uma segunda série, ´Escravas do amor´. Em 1948 publicou ´Núpcias de fogo´, ainda como Susana Flag, e a peça ´Anjo Negro´. No ano seguinte passou também a responder cartas de leitoras com o nome de Myrna. Em 1950 estreou ´Dorotéia´ e começa a escrever, para o Última Hora, a série ´A vida como ela é...´ Em 1954 lançou ´Senhora dos afogados´, com direção de Bibi Ferreira. Uma única vez trabalhou como ator, na sua peça ´Perdoa-me por me traíres´. Foi para a televisão, em 1960 como comentarista no programa ´Grande Resenha Facit´, na TV Rio. Escreveu a novela ´A morte sem espelhos´, que foi censurada, como toda a sua obra, aliás. Nos anos 40 e 50, Nelson era atacado por ser ´ousado´, e foi igualmente perseguido nos anos 70 por ser ´retrógrado´, mas continuou a ser Nelson. Escreveu sua última grande peça, ´A serpente´, em 1979 e faleceu no ano seguinte, a 21 de dezembro.


A coroa de orquídeas e outros contos de A vida como ela é...

Sinopse

Continuação de A vida como ela é... O homem fiel e outros contos, A coroa de orquídeas é mais uma antologia de contos publicados por Nelson Rodrigues em sua coluna A vida como ela é..., no jornal Última Hora. A linguagem permanece ágil e o humor de Nelson está tão mordaz quando no livro anterior. A diferença para o outro livro é que neste os assuntos estão mais diversificados. O conto Toquinhos de braços conta a história de uma mulher que não segurava nenhum filho na barriga. Quando conseguiu completar os nove meses de gravidez e dar à luz, o bebê nasceu com os braços pela metade. O conto Diabólica, história de uma pré-adolescente que rouba o noivo da irmã, foi adaptado para o programa Fantástico, em 97, e é um dos melhores textos do livro. Outro bom exemplo da criatividade de Nelson é O Pastelzinho, história tragicômica do suicídio de Dalva na noite de núpcias.

Asfalto Selvagem - Engraçadinha Seus Amores e Seus Pecados dos 12 aos 18

Sinopse

A mais marcante personagem feminina rodriguiana. Engraçadinha. Mais que um nome ou apelido, Nelson Rodrigues fez de uma aparentemente pacata mãe de família - vivida por Claudia Raia na minissérie de TV - um marco da literatura brasileira. Um texto visceral, que expôs a alma humana em amores e pecados, sem distinção. Uma das mais marcantes obras do gênio do teatro nacional.

A VIDA COMO ELA É...O HOMEM FIEL e Outros Contos

Sinopse

Durante dez anos, de 1951 a 1961, Nelson Rodrigues escreveu sua coluna A vida como ela é... para o jornal Última Hora, de Samuel Wainer. Seis dias por semana, chovesse ou fizesse sol. A chuva podia ser como "a do quinto ato do Rigoletto" e o sol, daqueles "de derreter catedrais", segundo ele. Todo dia, com uma paciência chinesa e uma imaginação demoníaca, Nelson escrevia uma história diferente. E quase sempre sobre o mesmo assunto: adultério. Desse tema tão simples e tão eterno, ele extraiu quase 2 mil histórias. Os ficcionistas que fingem se levar a sério precisam de toda uma aura de mistério para criar. Nelson dispensava esse mistério. Chegava cedinho à redação, acendia um cigarro e, na frente dos colegas, entre miríades de cafezinhos, escrevia A vida como ela é... As histórias saíam de casos que lhe contavam, da sua própria observação dos subúrbios cariocas ou das cabeludas paixões de que ele ouvira falar em criança. Mas principalmente da sua meditação sobre o casamento, o amor e o desejo. O cenário dos contos de A vida como ela é... é o Rio de Janeiro dos anos 50. Uma cidade em que casanovas de plantão e mulheres fabulosas flertavam nos ônibus e bondes; em que poucos tinham carro, mas esse era um Buick ou um Cadillac; em que os vizinhos vigiavam-se uns aos outros; e em que maridos e mulheres viviam sob o mesmo teto com as primas e os cunhados, numa latente volúpia incestuosa. Uma cidade em que, como não havia motéis, os encontros amorosos se davam em apartamentos emprestados por amigos — donde o pecado, de tão complicado, tornava-se uma obsessão. E uma época em que a vida sexual, para se realizar, exigia o vestido de noiva, a noite de núpcias, a lua-de-mel. E em que o casal típico — e, de certa forma, perfeito — compunha-se do marido, da mulher e do amante.


O Óbvio Ululante

Sinopse

Os textos que resultaram em O Óbvio Ululante são um mergulho do autor em sua própria história e foram publicados entre 1967/68. Parágrafos de ritmo peculiar, referências cotidianas e banais, mistura de permanência e efemeridade e freqüentes digressões, raramente encontradas em páginas de literatura pura. Nelson, óbvio. Rodrigues, ululante.

A Sombra das Chuteiras imortais - Crônicas de Futebol

Sinopse

As crônicas de futebol do escritor pernambucano cobrem os grandes momentos do esporte das décadas de 50 e 60, da derrota da Seleção Brasileira para o Uruguai em 1950 í conquista de três copas do mundo, passando pela descoberta de Pelé e Garrincha.

Vestido de Noiva

Sinopse

A peça que revolucionou o teatro brasileiro conta a história de Alaíde, moça atropelada por um automóvel que, enquanto é operada no hospital, relembra o conflito com a irmã, Lúcia, de quem tomou o namorado, Pedro, e imagina seu encontro com Madame Clessi, cafetina assassinada pelo namorado de 17 anos. Influenciada pelas ideias de Freud, a história é contada em três planos - o da realidade, onde ela é operada e seu acidente é comentado por jornalistas, o da alucinação (em que surge Madame Clessi, que Alaíde conheceu lendo o seu diário) e o da memória (em que ela lembra o triângulo amoroso com Lúcia e Pedro). O enredo abusa de flash-backs, recurso, na época, usado apenas no cinema. A montagem de Ziembinski foi inovadora e contribuiu para o sucesso do texto. Os três planos da ação foram divididos em três andares diferentes no cenário idealizado pelo pintor Santa Rosa.

Viúva, Porém Honesta

Sinopse

Vista como uma vingança e um desabafo de Nelson Rodrigues contra médicos, psicanalistas, jornalistas e especialmente contra a crítica teatral, a "farsa irresponsável em três atos" mostra um dono de jornal sem escrúpulos que, para discutir o problema da filha Lucy, promove uma reunião com um médico, um psicanalista, uma cafetina e até o diabo (papel de Jece Valadão). De esposa adúltera, Lucy se torna uma viúva respeitosa que não quer mais sentar depois da morte do marido, Dorothy Dalton, delinqüente juvenil transformado em crítico de teatro e obrigado a se casar com a filha do patrão, apesar de ser homossexual. Além de um contra-ataque, a peça também serviu como embrião para tipos que foram retomados em trabalhos posteriores. O doutor J.B. de Albuquerque, dono do jornal, pode ser considerado o primeiro molde do dr. Werneck, de Bonitinha, mas ordinária, assim como a tia solteirona que gostaria de ter 3.500 amantes reaparece em Toda nudez será castigada.


A Mulher sem Pecado

Sinopse

Nelson Rodrigues, enfrentando dificuldades financeiras, teve a idéia de escrever uma chanchada para ganhar dinheiro. A iniciativa resultou em sua primeira peça, A mulher sem pecado, que não era uma chanchada e tampouco trouxe dinheiro a seu autor. Este texto, escrito em 1941, já trazia os valores dramáticos, temáticos e poéticos que consagrariam o autor como o grande renovador do teatro brasileiro. "A mulher sem pecado" narra as aflições de Olegário, homem que sente um ciúme doentio por sua mulher, a jovem e bela Lídia. Ele dá dinheiro extra a seus empregados para que eles investiguem a vida, o passado e todos os passos de sua esposa. Mas os testes de Olegário acabam tendo um efeito contrário.

A vida como ela é...
Sinopse:

Nelson Rodrigues já era Nelson Rodrigues quando, em 1961, organizou esta antologia, que reunia em livro pela primeira vez parte da série A vida como ela é. Samuel Wainer, dono da Última Hora, queria em seu jornal uma coluna em que o autor de Vestido de Noiva, Anjo Negro e Álbum de família, retratasse, com um toque ficcional, uma história da vida real. Combinação perfeita para um dramaturgo sofisticado que, desde sempre, respirava jornal. A vida como ela é estreou em 1950 e em pouco tempo era um sucesso popular. Como o melhor jornalismo, falava direto ao público; como a literatura mais sofisticada, fazia tremer suas convicções. Por seu alcance e perenidade, teve várias encenações em mais de 50 anos. Foi programa de rádio nos anos 1960, narrado por Procópio Ferreira e disco, lançado pela Odeon. Foi transformada em fotonovela. Deu origem a um dos grandes sucessos do cinema brasileiro, A dama do lotação. Na década de 90, foi grande sucesso no teatro, em encenação premiada de Luiz Arthur Nunes. E, em XX, chegou ao horário nobre na fidelíssima adaptação dirigida por Daniel Filho.

Nélson "Trágico" Rodrigues - Carla Souto
Sinopse:
Esta obra pretende investigar a estruturação das personagens das chamadas tragédias ou peças míticas de Nelson Rodrigues: Álbum de família, Anjo negro, Senhora dos afogados e Dorotéia.


OBRAS | TEATRO

Nélson Rodrigues escreveu dezessete peças teatrais. Sua edição completa abrange quatro volumes, divididos segundo critérios do crítico Sábato Magaldi, que agrupou as obras de acordo com suas características, dividindo-as em três grupos: Peças psicológicas, Peças míticas e Tragédias cariocas.


PEÇAS PSICOLÓGICAS

A mulher sem pecado
Vestido de noiva
Valsa nº 6 Viúva, porém honesta
Anti-Nélson Rodrigues

PEÇAS MÍTICAS

Álbum de família
Anjo negro
Senhora dos Afogados
Doroteia

TRAGÉDIAS CARIOCAS I

A falecida
Perdoa-me por me traíres
Os Sete Gatinhos
Boca de ouro

TRAGÉDIAS CARIOCAS II

O beijo no asfalto
Bonitinha, mas ordinária ou Otto Lara Rezende Toda Nudez Será Castigada
A serpente

OBRAS | FILMES
Baseados na obra de Nélson Rodrigues
Somos dois - 1950 - Direção: Milton Rodrigues
Meu destino é pecar - 1952 - Direção: Manuel Pelufo
Mulheres e milhões - 1961 - Direção: Jorge Ileli
Boca de ouro - 1963 - Direção: Nelson Pereira dos Santos
Meu nome é Pelé - 1963 - Direção: Carlos Hugo Christensen
Bonitinha mas ordinária - 1963 - Direção: J.P. de Carvalho
Asfalto selvagem - 1964 - Direção: J.B. Tanko
A falecida - 1965 - Direção: Leon Hirzman
O beijo - 1966 - Direção: Flávio Tambellini
Engraçadinha depois dos trinta - 1966 - Direção: J.B. Tanko
Toda nudez será castigada - 1973 - Direção: Arnaldo Jabor
O casamento - 1975 - Direção: Arnaldo Jabor
A dama do lotação - 1978 - Direção: Neville d'Almeida
Os sete gatinhos - 1980 - Direção: Neville d'Almeida
O beijo no asfalto - 1980 - Direção: Bruno Barreto
Bonitinha mas Ordinária ou Otto Lara Rezende - 1981 - Direção: Braz Chediak
Álbum de família - 1981 - Direção: Braz Chediak
Engraçadinha - 1981 - Direção: Haroldo Marinho Barbosa
Perdoa-me por me traíres - 1983 - Direção: Braz Chediak
Boca de ouro - 1990 - Direção: Walter Avancini Traição - 1998 - Direcão: Arthur Fontes, Cláudio Torres e José Henrique Fonseca
Gêmeas - 1999 - Direção: Andrucha Waddington
Vestido de noiva - 2006 - Direção de Joffre Rodrigues
Bonitinha mas Ordinária ou Otto Lara Rezende - 2009

OBRAS | TELENOVELAS
Baseadas na obra de Nélson Rodrigues
A morta sem espelho - TV Rio - 1963
Sonho de amor - TV Rio - 1964
O desconhecido - TV Rio - 1964
O homem proibido - TV Globo - 1982
Meu Destino É Pecar - TV Globo - 1984
Engraçadinha... Seus Amores e Seus Pecados - TV Globo - 1995
A Vida Como Ela É - TV Globo - 1996

OBRAS | LITERATURA | ROMANCES
Meu destino é pecar - 1944
Escravas do amor - 1944
Minha vida - 1944
Núpcias de fogo - 1948
A mulher que amou demais - 1949
O homem proibido - 1959
A mentira - 1953
Asfalto selvagem - 1959 (também conhecido como Engraçadinha)
O casamento - 1966
OBRAS | LITERATURA | CONTOS

Cem contos escolhidos - A vida como ela é... - 1972
Elas gostam de apanhar - 1974
A vida como ela é — O homem fiel e outros contos - 1992
A dama do lotação e outros contos e crônicas - 1992
A coroa de orquídeas - 1992

OBRAS | LITERATURA | CRÔNICAS

Memórias de Nélson Rodrigues - 1967
O óbvio ululante: primeiras confissões - 1968
A cabra vadia - 1970
O reacionário: memórias e confissões - 1977
Fla-Flu...e as multidões despertaram - 1987
O remador de Ben-Hur - 1992
A cabra vadia - Novas confissões - 1992
A pátria sem chuteiras - Novas Crônicas de Futebol - 1992
A menina sem estrela - memórias - 1992
À sombra das chuteiras imortais - Crônicas de Futebol - 1992
A mulher do próximo - 1992
Nélson Rodrigues, o Profeta Tricolor - 2002
O Berro impresso nas Manchetes - 2007

OBRAS SOBRE NELSON RODRIGUES | LIVROS

1. TEATRO DA OBSESSAO: NELSON RODRIGUES | MAGALDI, SABATO

2. NELSON RODRIGUES - DRAMATURGIA E ENCENAÇOES | MAGALDI, SABATO

3. INTELIGENCIA COM DOR - NELSON RODRIGUES ENSAISTA | FISCHER, LUIS AUGUSTO

4. FOLHETIM Nº 29 - ESPECIAL NELSON RODRIGUES | TEATRO DO PEQUENO GESTO

5. PALAVRA NOVA, A - O DIALOGO ENTRE NELSON RODRIGUES | DRUCKER, CLAUDIA

6. ARQUIVINHOS - NELSON RODRIGUES | SOUZA, CLAUDIO MELLO E

7. NELSON RODRIGUES - O INFERNO DE TODOS NÓS |SOUTO, CARLA

8. TEATRO DE NELSON RODRIGUES | CUNHA, FRANCISCO CARNEIRO DA

9. NELSON RODRIGUES E A OBSCENA CONTEMPORANEA | PEREIRA, VICTOR HUTO ADLER

10. ESTILOS LITERARIOS E LETRAS DE MUSICA POPULAR | RODRIGUES, NELSON ANTONIO DUTRA

11. NELSON RODRIGUES - TRAGICO, ENTAO MODERNO | LOPES, ANGELA LEITE

12. TEATRO COMPLETO V.1 - NELSON RODRIGUES | Organizador: MAGALDI, SABATO

13. TEATRO COMPLETO V.2 - NELSON RODRIGUES | Organizador: MAGALDI, SABATO

14. TEATRO COMPLETO V.3 - NELSON RODRIGUES | Organizador: MAGALDI, SABATO

15. TEATRO COMPLETO V.4 - NELSON RODRIGUES | Organizador: MAGALDI, SABATO

16. NELSON RODRIGUES - DRAMATURGIA E ENCENAÇOES | MAGALDI, SABATO

17. O FUTEBOL EM NELSON RODRIGUES | MARQUES, JOSE CARLOS

18. NELSON RODRIGUES EVANGELISTA | CUNHA, FRANCISCO CARNEIRO DA

19. O ANJO PORNOGRAFICO | CASTRO, RUY

20. NÉLSON "TRÁGICO" RODRIGUES | CARLA SOUTO

ACERVO

O Cedoc – Centro de Documentação da Funarte possui amplo acervo sobre o dramaturgo, como fotos de peças, programas das produções teatrais, resenhas e comentários sobre espetáculos teatrais, entre eles Vestido de Noiva, encenado pela primeira vez para um Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Boa parte dos registros fotográficos de peças do dramaturgo existentes no Cedoc foram feitos pelo Estúdio Foto Carlos, que, nas décadas de 40, 50, 60, 70 e 80 e foram digitalizadas graças ao projeto Brasil Memória das Artes, incluindo registros de raridades, como uma participação de Nelson Rodrigues como ator. No Portal da Funarte ainda é possível ver vídeos produzidos sobre o dramaturgo e sua obra.

Para Saber Mais:

Itaú Cultural

Releituras

Site Oficial

Livraria Cultura

Revista Bravo

MATÉRIAS NA NET

VIDEOS